(31) 3224-2434
Notícia
            Notícias             Notícias             Meio ambiente: Diocese de Januária participa de ação em Montalvânia (MG)
Meio ambiente: Diocese de Januária participa de ação em Montalvânia (MG) 15 de Julho de 2019 Arquidioceses e Dioceses
A a     

A Diocese de Januária (MG) na pessoa de seu Bispo Diocesano, Dom José Moreira da Silva, participou no dia 10 de julho de uma ação conjunta em prol do meio ambiente que é a revitalização e preservação do Rio Cochá e seus afluentes no município de Montalvânia (MG). A iniciativa partiu da Associação Cochanina Águas do Norte (ACAN), com sede na cidade e criada em abril de 2018 com o propósito de promover as ações necessárias à recuperação e à preservação do Rio Cochá e notadamente seus afluentes.

Após um minucioso diagnóstico realizado em 2018 a ACAN vem promovendo ações no sentido de projetar, viabilizar e implantar as obras necessárias à preservação do Rio Cochá e seus afluentes, sendo que a primeira ação prática foi a construção de um complexo de barramentos (60 barragens de contenção) cuja finalidade principal foi a contenção dos processos erosivos no Córrego Barreiro de Santana (principal ponto de erosão do Rio) de onde foram carreados 29.980 caçambas de terra para dentro do leito do Rio Cochá segundo os levantamentos técnicos efetuados na área.

Nesta segunda etapa, da qual participou a Diocese de Januária, o propósito é a revitalização dos córregos: Extrema, Barreiro de Santana, Água Ruim e Suçuarana localizados no interior de Montalvânia. Neste sentido, diversos órgãos socais, políticos jurídicos e religiosos Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (CODEVASF); Instituto Estadual de Florestas (IEF/MG); Ministério Público do Estado de Minas Gerais (Promotoria das Comarcas dos mnicípios de Manga e Montalvânia); Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (EMATER-MG); SRE/JANUÁRIA (Superintendência Regional de Ensino), Câmara Legislativa Municipal e Prefeitura Municipal de Montalvânia e a já citada Diocese de Januária foram a campo para conferirem in loco o projeto na qual é proposto pela ACAN.

O trajeto iniciou-se por algumas comunidades rurais de Montalvânia, onde o grupo pôde ver na prática os efeitos degradantes na qual passa o meio ambiente naquelas localidades, tais como: córregos secos, erosões, desmatamentos entre outros, mas também puderam perceber as boas práticas já empregadas na mesma região como forma de preservar e recuperar o Rio Cochá. O encontro terminou na Capela da Comunidade de Novo Horizonte sediada às margens do Rio mencionado onde participaram a população das Comunidades de: Extrema, Barreiro de Santana, Água Ruim e Suçuarana que estão contempladas diretamente no projeto supramencionado além das instituições acima citadas nas pessoas de seus representantes.

 

No encontro, as autoridades levaram ao conhecimento da população local todas vertentes inerentes ao projeto sendo: o que já foi feito, e ainda o que será realizado, tendo como eixo central da discussão o apoio mútuo na qual esta mesma população terá que consentir para o êxito da ação que é ambiental.

Para Dom José Moreira da Silva, Bispo Diocesano de Januária, “o que estamos fazendo hoje aqui com este povo é trazer o conhecimento, afinal ninguém ama aquilo que não conhece, precisamos envolvê-los neste projeto de modo que eles, aliás que toda a população que dependa direta e indiretamente das águas do Rio Chochá e seus afluentes possam deixar-se apaixonar por esta belíssima ação de preservação ambiental”. Stela Abreu Superintende Regional de Ensino de Januária enfatizou que, “onde há preservação, a vida pulsa, foi o que pudemos perceber neste projeto, ou seja, no que está preservado há água, há vida, há o sustento, o que é necessário agora é cristalizarmos esta conjunta ação em defesa do meio ambiente”.

Por fim, Renan Montalvão que é o presidente da ACAN, afirmou sentir-se honrado com tantas pessoas de boa vontade aderindo ao projeto que em suas palavras. “Sinto-me alegre em ver tanta gente empenhada nesta missão, não é mérito meu e nem mesmo da ACAN o que queremos é um meio ambiente saudável para todos, mas para isso precisamos de apoio e gente que faça este projeto acontecer, só me resta agradecer e dizer continuem conosco nesta missão que é desafiadora, a natureza agradece”, afirmou Renan.

 

 

Texto: Givando Elias de Queiroz e Sílvio de Jesus/Pascom/Diocese de Januária

Fotos: Adailton Pereira e Sílvio de Jesus/Pascom/Diocese de Januária

Compartilhe esta notícia:
Nome:
E-mail:
E-mail do amigo:
Últimas Notícias
                  
Área do Participante
Esqueceu sua senha? Ainda não tem cadastro? Clique aqui.
Área do Participante
Esqueceu sua senha? Ainda não tem cadastro? Clique aqui.
Esqueceu a senha
Inscreva-se