(31) 3224-2434
Comentário Homilético
            Publicações             Comentário Homilético      
SAGRADA FAMÍLIA de de
A a     

1ª LEITURA - Eclo 3,3-7.14-17a

Muitos judeus não moravam na Palestina e estavam perdendo suas tradições religiosas e culturais e assimilando a cultura e o modo de pensar de um povo estrangeiro. Este livro pretende ajudar estes judeus da diáspora a recuperar suas raízes e sua identidade, sua cultura e sua religião. O trecho que estamos lendo é um comentário do 4º mandamento: "Honra teu pai e tua mãe, para que se prolonguem os teus dias na terra que Javé teu Deus te dá” (Ex 20,12). Este mandamento traz uma promessa: a de ter uma vida longa. O texto acrescenta mais duas promessas: o atendimento às orações (v. 5) e o perdão dos pecados (v. 3 e 14). É bom lembrar que o judeu alcançava o perdão dos seus pecados com um sacrifício oferecido no templo de Jerusalém. Agora o autor sagrado apresenta uma novidade, mostrando o perdão não através do habitual rito exterior do sacrifício do Templo, mas através de uma atitude interior do profundo amor, respeito e dedicação aos pais. É uma grande novidade evangélica para um povo que morava em outro país, longe do Templo. Podemos lembrar ainda outras exortações do texto. Honrar pai e mãe é: ajuntar tesouros e garantir a alegria dos filhos. Para quem tem pais idosos uns conselhos especiais: amparar, não lhes causar desgostos, ser compreensivo, não humilhá-los. Deus não esquece o carinho e a atenção que dedicamos aos nossos pais.

2ª LEITURA - Cl 3,12-21

O relacionamento na comunidade

O fundamento de tudo o que nós vamos ler neste texto está no nosso batismo (cap. 2). O batismo é morte e ressurreição com Cristo. Morte para tudo o que conduz à morte e ressurreição para tudo o que conduz à vida (3,1ss). Pelo batismo nos tornamos o "povo santo de Deus, escolhido e amado. Por isso..." Aqui o autor expõe toda a sua exortação. O 1º ponto forte é a misericórdia acompanhada daquilo que a caracteriza: bondade, humildade, mansidão, paciência e perdão. O modelo da misericórdia e do perdão a imitar é o próprio Cristo. Para destaque poderíamos colocar como 2º ponto o amor, porque o amor provoca a união perfeita, o amor cobre uma multidão de pecados (1Pd 4,8), o amor é a plenitude da lei. Um 3º ponto é a paz de Cristo que deve ser a rainha do coração do cristão. Os cristãos são membros de um só corpo. Os membros do corpo não podem conviver em desavença.

O relacionamento na família

Há uma exortação especial para cada membro da família cristã. Para as esposas a docilidade, o amor - a doação e a delicadeza ("não sejam grosseiros"). Para os filhos a obediência. Para os pais o cuidado de não irritarem os filhos. Os pais nunca devem ser motivo de desânimo para os filhos, mas de estímulo e de coragem para que eles possam viver profundamente seu batismo.

EVANGELHO - Mt 2,13-15.19-23

Fuga para o Egito

No texto de hoje o meio de Deus se manifestar a José é através de sonhos (vv. 13.19). Os sonhos são, de fato, "a janela da alma de uma pessoa", lugar sagrado das manifestações de Deus e do encontro das pessoas com Deus. É assim que pensa o povo da Bíblia. Por trás do episódio de hoje temos a descida de Jacó ao Egito (Gn 46,1-4) como também as ameaças do Faraó contra Moisés (Ex 4,9). Sob as ordens do anjo do Senhor, a Sagrada Família deve emigrar para o Egito, pois Herodes quer matar o Menino Jesus. Depois da morte de Herodes eles devem retornar. Percebe-se no texto de hoje uma clara inversão. O Egito opressor se torna terra de refúgio, e a Terra Prometida virou Egito opressor, pois é na Judeia que mora o "novo faraó" - o rei Herodes - que está transformando o país num lugar de escravidão e morte. Jesus, para Mateus, é o novo Moisés que libertará o povo da opressão: "Do Egito chamei meu filho".

Retorno para Nazaré

Obediente à palavra do anjo, José retorna com Jesus e Maria. Sabendo que Arquelau ocupou o lugar do seu pai Herodes, José teve medo de ir para lá, pois Arquelau herdou a maldade e a crueldade de seu pai. Ele se dirige, então, para Nazaré, na Galiléia (22-23a).

As profecias se cumprem: "Ele será chamado Nazareno". Quais são as profecias? Aqui está um problema, pois esta frase não se encontra no Antigo Testamento. Talvez as profecias sejam relacionadas com todas as possibilidades da raiz hebraica da palavra Nazareno. Assim poderíamos citar (Jz 13,5.7): "nazer" = consagrado: Jesus é o consagrado por Deus para a libertação do povo. Is 11,1: "necer" = broto. Jr 23,5;33,15: "cemar" = germe. Nestes dois textos, Jesus seria a árvore da vida, aquele que traz vida para todos. Is 42,6;49;8: "naçar" = guardar, daí "naçur" = resto. Jesus assume e guarda o "resto" do povo, os pobres e excluídos que esperam a libertação. Assim, para Mateus, Jesus é o novo Moisés, consagrado por Deus para libertar seu povo, considerado o resto de Israel, povo sofrido e excluído. Jesus vai trazer vida para todos.

Compartilhe esta notícia:
Nome:
E-mail:
E-mail do amigo:
Últimas Notícias
                  
Área do Participante
Esqueceu sua senha? Ainda não tem cadastro? Clique aqui.
Área do Participante
Esqueceu sua senha? Ainda não tem cadastro? Clique aqui.
Esqueceu a senha
Inscreva-se