(31) 3224-2434
(31) 3224-0017
Artigo
            Publicações             Artigos             Terreno Fértil
Terreno Fértil 09 de Julho de 2014 Dom José Alberto Moura Artigo dos Bispos Nossas ações dependem muito do que colocamos em nossa cabeça e sabemos administrar o que aí está.
Dom José Alberto Moura
Dom José Alberto Moura Arcebispo Emérito Metropolitano de Montes Claros - MG
A a     

O ditado “colhe-se o que se planta” faz resultar o outro: “Quem semeia vento colhe tempestade”. Jesus mostra na prática o que fazer da vida presente para se ter o resultado feliz, ou a consecução do objetivo da vida. O caminho dele é exigente para se ter o ideal conquistado. De fato, sem a exercitação ou a ascese na prática do bem não se consegue atingir a vitória, como num campeonato esportivo. Mesmo quem tem mais pendores ou facilidades de realizar um projeto na vida, se não se capacitar bem para realizá-lo não alcançará o êxito desejado. Hoje o bem é relativizado e confundido com o bem estar apenas considerado no seu aspecto de se terem prazeres na ordem emocional, sensível, física, material e social. Dentro dessa visão e prática de vida não se busca um ideal que faz a pessoa até renunciar o circunstancial em bem da conquista de uma dignidade perene na vida.

A pessoa humana pode fazer muita coisa na ordem pessoal, profissional e social. Mas nunca pode se esquecer de que tudo tem sua sustentabilidade na base  da existência, das oportunidades e mesmo dos condicionamentos históricos, familiares e sociais, que são dons divinos. Dependemos de Deus em tudo. Nossa parte é colocada com mérito quando correspondemos às suas dádivas. Mas é fundamental colocarmos nosso esforço e desenvolvermos nossas capacidades para potencializarmos os resultados advindos disso.

O profeta Isaías lembra que Deus comunica seus dons e sua palavra, esperando o resultado certo de sua ação: “A palavra que sair de minha aboca não voltará para mim vazia: antes, realizará tudo que for de minha vontade e produzirá os efeitos que pretendi ao enviá-la”. Quando o ser humano aceitar essa palavra e a aplicar terá a certeza de seu resultado positivo, mesmo acontecendo em sua vida muitos transtornos e dificuldades, como lembra o apóstolo Paulo (Cf Romanos 8,18-23).

Na parábola do semeador Jesus faz a comparação da vida humana com a terra onde se jogam as sementes. Dependendo do terreno as sementes têm mais chance de nascerem e darem frutos ou não (Cf Mateus 13,1-23). Muitos poderiam realizar um projeto de vida com grande realização pessoal e social  se trabalhassem sua personalidade. Nossas ações dependem muito do que colocamos em nossa cabeça e sabemos administrar o que aí está. Quantas pessoas, até com grandes limites e dificuldades, conseguem realizar uma vida bonita e de felicidade para si, suas famílias e a sociedade!!! Há também quem tem muito dinheiro, cultura, saúde e oportunidades,  mas são eminentemente egoístas e usam tempo e dinheiro para a própria ruína  e a dos outros.

Devemos tudo fazer para formarmos pessoas com ideal, altruísmo, compromisso com o bem de si e da sociedade, que trabalhem com ardor e projeto de bem servir. Assim teremos casamentos mais realizados, vocações mais acertadas, políticas públicas e políticos mais servidores do bem comum! Dependendo do terreno das personalidades teremos mais gente saudável e um mundo de mais realização humana, conforme o projeto de Deus!

Compartilhe este artigo:
Nome:
E-mail:
E-mail do amigo:
Últimas Notícias
                  
Área do Participante
Esqueceu sua senha? Ainda não tem cadastro? Clique aqui.
Área do Participante
Esqueceu sua senha? Ainda não tem cadastro? Clique aqui.
Esqueceu a senha
Inscreva-se