(31) 3224-2434
(31) 3224-0017
Artigo
            Publicações             Artigos             Solenidade de Nosso Senhor Jesus Cristo Rei do Universo
Solenidade de Nosso Senhor Jesus Cristo Rei do Universo 20 de Novembro de 2020 Dom Eurico dos Santos Veloso Artigo dos Bispos "Porque o nosso coração, e o coração de quem amamos, é sagrado"
Dom Eurico dos Santos Veloso
Dom Eurico dos Santos Veloso Arcebispo Emérito de Juiz de Fora - MG
A a     

Chegamos a mais um encerramento de um ano litúrgico chamado de Ano litúrgico A. No 34º Domingo do Tempo Comum, celebramos a Solenidade de Nosso Senhor Jesus Cristo, Rei do Universo.

O Papa Pio XI(1922-1939), com a sua Encíclica Quas Primas (11 de novembro de 1925), estabeleceu a Solenidade de Nosso Senhor Jesus Cristo Rei do Universo. Assim, este Santo Pontífice recordou a extensão do Senhorio de Jesus Cristo sobre todas as pessoas, famílias, cidades, povos e nações, governos e instituições, ou seja, a realeza social do Senhor Jesus sobre o mundo. A grande realidade da fé cristã é o Cristo Ressuscitado, vencedor do pecado e da morte, que concede a sua vitória aos que lhe pertencem. O Papa Pio Xi demonstrou com aquela Encíclica que o laicismo é a negação radical desta realeza de Cristo, pois organiza a vida social como se Deus não existisse. Tributar a Nosso Senhor Jesus Cristo os direitos de realeza não ferem a laicidade, uma vez que nenhum Estado está isento de suas obrigações para com Deus. Por isso esta Solenidade é muito importante num mundo, como o atual, que teima em não se curvar diante do Senhorio e da Realeza de Cristo!

Há uma grande verdade a respeito da vida que pode ser facilmente constatada por experiência: somos governados não apenas pelo que amamos, mas sobretudo, pelo que adoramos. Só reconhecemos como rei, só permitimos que nos governe, aquele, ou aquilo, que adoramos. E o problema é que podemos adorar muitos ídolos: dinheiro, sucesso, prazer – tudo, no fim das contas, que tem a ver com o nosso egocentrismo. E isso tem de ser descartado, tem de ser renunciado. Se colocarmos qualquer coisa que não seja Ele no trono do nosso coração, experimentaremos as consequências: prolongados – e cada vez mais frequentes – momentos de vazio, falta de sentido na vida, a impressão mais e mais nítida e perturbadora de que algo está faltando. Porque o nosso coração, e o coração de quem amamos, é sagrado. E é com base nessa verdade que devemos viver.

As leituras deste domingo falam-nos do Reino de Deus (esse Reino de que Jesus é rei). Apresentam-no como uma realidade que Jesus semeou, que os discípulos são chamados a edificar na história (através do amor) e que terá o seu tempo definitivo no mundo que há-de vir.

A primeira leitura(cf. Ez 34,11-12.15-17) utiliza a imagem do Bom Pastor para apresentar Deus e para definir a sua relação com os homens. A imagem sublinha, por um lado, a autoridade de Deus e o seu papel na condução do seu Povo pelos caminhos da história; e sublinha, por outro lado, a preocupação, o carinho, o cuidado, o amor de Deus pelo seu Povo.

O Evangelho(cf. Mt 25,31-46) apresenta-nos, num quadro dramático, o “rei” Jesus a interpelar os seus discípulo acerca do amor que partilharam com os irmãos, sobretudo com os pobres, os débeis, os desprotegidos. A questão é esta: o egoísmo, o fechamento em si próprio, a indiferença para com o irmão que sofre, não têm lugar no Reino de Deus. Quem insistir em conduzir a sua vida por esses critérios ficará à margem do Reino.

Na segunda leitura(cf. 1Cor 15,20-26.28), São Paulo lembra aos cristãos que o fim último da caminhada do crente é a participação nesse “Reino de Deus” de vida plena, para o qual Cristo nos conduz.  Nesse Reino definitivo, Deus manifestar-Se-á em tudo e atuará como Senhor de todas as coisas (v. 28).

Neste dia, ao tributarmos a nossa adoração a Nosso Senhor Jesus Cristo Rei do Universo, porque o nosso coração, e o coração de quem amamos, é sagrado. E é com base nessa verdade que devemos viver. Não desrespeite seu coração e não deixe que ele seja desrespeitado. Ame a Jesus de todo o seu coração. Ame seu próximo como Ele ensinou. Carregue sua cruz unido a Ele. Seja discípulo dele e não dos ídolos deste mundo. E você será um súdito muito feliz, e capaz de comunicar essa alegria a todos com quem convive. Que Nosso Senhor Jesus Cristo seja Rei de nossas vidas, hoje e por todo o sempre, Amém!

Compartilhe este artigo:
Nome:
E-mail:
E-mail do amigo:
Últimas Notícias
                  
Área do Participante
Esqueceu sua senha? Ainda não tem cadastro? Clique aqui.
Área do Participante
Esqueceu sua senha? Ainda não tem cadastro? Clique aqui.
Esqueceu a senha
Inscreva-se