(31) 3224-2434
(31) 3224-0017
 Área do Usuário Entre ou cadastre-se
Artigo
            Publicações             Artigos             Exaltação da Santa Cruz
Exaltação da Santa Cruz 15 de Setembro de 2021 Dom Eurico dos Santos Veloso Artigo dos Bispos "Do mesmo modo como Moisés levantou a serpente no deserto, assim é necessário que o Filho do Homem seja levantado"... (cf. Jo 3,14-15)
Dom Eurico dos Santos Veloso
Dom Eurico dos Santos Veloso Arcebispo Emérito de Juiz de Fora - MG
A a     

A Festa da Exaltação da Santa Cruz traz consigo não somente o simbolismo do instrumento libertador da Salvação, mas “a Cruz de nosso Senhor Jesus Cristo deve ser a nossa glória: nele está nossa vida e ressurreição; foi ele que nos salvou e libertou.” (cf. Gl 6,14). Pois, “a revelação do amor de Deus por nós parece uma loucura. Cada vez que olhamos para o Crucifixo, encontramos esse amor. O Crucifixo é o grande livro do amor de Deus” (Papa Francisco, 2020).

Comemorar esta Festa é certificar-se que Jesus entregou-se em expiação de nossos pecados e por Amor Incondicional para a Salvação dos homens, “pois Deus amou tanto o mundo, que deu o seu Filho unigênito, para que não morra todo o que nele crer, mas tenha a vida eterna” (cf. Jo 3,16). Assim, “Jesus Cristo, existindo em condição divina, não fez do ser igual a Deus uma usurpação, mas ele esvaziou-se a si mesmo, assumindo a condição de escravo e tornando-se igual aos homens. Encontrado com aspecto humano, humilhou-se a si mesmo, fazendo-se obediente até a morte, e morte de cruz” (cf. Fl 2,6-8).

Ao olharmos para Cruz, que não deixamos de exaltar a nossa própria salvação, porém não esqueçamos de vivenciar em nossas ações e respostas a vivência da Palavra de Deus, visto que “com a Cruz se manifestou o juízo sobre o mundo: Jesus, condenado injustamente, sofre tormentos que manifestam a profundidade da ruptura entre os homens e Deus. Por isto, a Cruz é exaltada como sinal que manifesta para sempre e para todos, o amor de Deus pelos homens” (cf. Missal dominical – Missal da Assembleia Cristã).

Enfim, possamos reconhecer que Jesus Cristo “sobre o madeiro, levou os nossos pecados em seu próprio corpo, a fim de que, mortos para os nossos pecados, vivêssemos para a justiça” (cf. 1Pd 2,24). Portanto, que vivamos o Amor da Cruz que nos livrou da condenação e nos reconciliou para salvação e libertação.

Nós vos adoramos, Senhor Jesus Cristo, e vos bendizemos, porque pela Cruz remistes o mundo!

Saudações em Cristo!

Compartilhe este artigo:
Nome:
E-mail:
E-mail do amigo:
Últimas Notícias
                  
Área do Participante
Esqueceu sua senha? Ainda não tem cadastro? Clique aqui.
Área do Participante
Esqueceu sua senha? Ainda não tem cadastro? Clique aqui.
Esqueceu a senha
Inscreva-se